Mensagem de Boas-Vindas

Diretora Clínica HIA

“O Hospital Internacional dos Açores, posiciona-se como uma Unidade de Saúde diferenciada, na Região Autónoma dos Açores, tendo como objetivo a criação de um Hospital de proximidade, para com toda a comunidade que nos procura.

Centrado na humanização da prestação de cuidados de saúde, o nosso enfoque será sempre qualidade e segurança, conjugando profissionais de saúde de renome...
VER MAIS
Mensagem de Boas-Vindas

Presidente do Conselho de Administração

"O projeto do Hospital Internacional dos Açores, nasce da vontade dos seus promotores apoiarem e colmatarem, uma oferta não abrangente na sua globalidade, na Prestação de Cuidados de Saúde Privada na Região.

Com uma estrutura acionista sólida, e forte experiência no que respeita à gestão de Unidades de saúde, o Hospital Internacional dos Açores pretende implementar uma Unidade com uma capacidade instalada abrangente, integrada e diferenciadora...
VER MAIS
Previous
Next
PISOS:

PISO 0

PISO 1

PISO 2

Atendimento Permanente

Unidade de Imagiologia

Bloco Operatório (3 Salas + 1 Híbrida)

Exames Especiais

Zona Administrativa

Restaurante/Snack Bar

Consulta Externa

Área da Mulher

Hospital de Dia

Medicina Dentária

Unidade Funcional de Acidentes & Reabilitação Física

Internamento

Internamento Pediátrico

Cuidados Intensivos Neonatais

Maternidade

Cuidados Intensivos

Internamento

Secções:

Atendimento Permanente

Unidade de Imagiologia

Bloco Operatório (4 Salas)

Exames Especiais

Secções:

Internamento Pediátrico

Cuidados Intensivos Neonatais

Internamento

Maternidade

Cuidados Intensivos

Secções:

Consulta Externa

Área da Mulher

Restaurante/Snack-Bar

Zona Administrativa

Hospital de Dia

Medicina Dentária

Unidade Funcional de Acidentes & Reabilitação Física

Horários & Funcionamento

Em contexto COVID-19 e face à necessidade de reforçar as medidas de proteção dos doentes e da comunidade em geral, foram definidas novas regras para visitantes e acompanhantes no HIA.

Horário de Consultas:

das 08h às 20h

Atendimento Médico Permanente:

24h

Atendimento Médico Pediátrico:

10H – 22H

Horário de Visitas:

das 12h às 20h

Em período de funcionamento pós contexto pandemia/ Covid

O Hospital Internacional dos Açores tem ao seu dispor as seguintes especialidades médicas e cirúrgicas:

É uma área multidisciplinar que assegura o correto tratamento dos Sinistrados, desde o momento do acidente, até e sempre que possível, à sua reintegração profissional, respeitando um conjunto de procedimentos e assistência Clínica.

Anestesiologia é a especialidade que atua de forma a reduzir ou eliminar a dor do utente que é submetido a procedimentos cirúrgicos ou a exames de diagnóstico.

A Angiologia e a Cirurgia Vascular atuam em conjunto. Enquanto a angiologia é a especialidade que se dedica ao tratamento clínico das doenças que envolvem os vasos sanguíneos e os vasos linfáticos, a cirurgia vascular permite o seu tratamento cirúrgico.

Cardiologia é a especialidade que se ocupa do diagnóstico e tratamento das doenças do coração.

Cirurgia Cardiotorácica é a especialidade direcionada para o tratamento cirúrgico de doenças cardiovasculares e torácicas.

Cirurgia Geral é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento cirúrgico das doenças do sistema digestivo, endócrinas, metabólicas ou da obesidade, da patologia da mama e das hérnias, utilizando técnicas de abordagem clássica ou via laparoscópica.

Cirurgia Maxilo-Facial é a especialidade vocacionada para o tratamento de doenças relacionadas com problemas na face, na cavidade oral e na região cervical.

Cirurgia Pediátrica é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento cirúrgico de doenças do recém-nascido, da criança e do jovem até aos 18 anos.

Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética é a especialidade que se dedica ao tratamento cirúrgico de doenças e malformações congénitas e adquiridas, de lesões traumáticas da pele e anexos, nos seus aspetos estéticos, morfológicos e funcionais.

Coloproctologia é a subespecialidade que se dedica ao estudo, diagnóstico e tratamento das doenças do intestino grosso (cólon), reto e ÂNUS.

Dermatologia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento clínico e cirúrgico das doenças da pele e anexos cutâneos, nomeadamente unhas, mucosas, pelos e cabelos.

Endocrinologia é a especialidade que estuda o funcionamento do sistema endócrino, procurando por exemplo, o tratamento da diabetes, obesidade, doenças da tiróide, desequilíbrio da glândula hipófise, distúrbios da menstruação, entre outros.

Gastrenterologia é a especialidade que estuda, diagnostica e trata as doenças do sistema digestivo.

A Genética é a especialidade da biologia que estuda os genes, a hereditariedade e a variação dos organismos, assim como a forma como estes transmitem as características biológicas de geração para geração.

Ginecologia é a especialidade que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças do aparelho reprodutor feminino. 

A Hematologia trata doenças benignas e malignas do sangue.

Imagiologia é a especialidade da medicina que utiliza diversos tipos de equipamento para diagnóstico de doenças e patologias.

Imunoalergologia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento das doenças alérgicas e do sistema imunitário.

Medicina da Dor é a especialidade que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento da dor aguda e crónica em todas as suas dimensões.

Medicina Dentária é a área responsável pelo estudo, diagnóstico, prevenção e tratamento de condições fisiopatológicas que afetam a cavidade oral, os maxilares e as estruturas associadas.

Medicina Física e Reabilitação é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento de deficiências e incapacidades funcionais, tendo como objetivo a promoção da função física e cognitiva, da atividade, da participação e na modificação dos fatores pessoais e ambientais.

Medicina Geral e Familiar é a especialidade responsável pelos cuidados de saúde primários aos utentes e famílias.

Medicina Materno-fetal é a especialidade que corresponde a uma área da obstetrícia, dedicada ao tratamento das doenças da gravidez e do feto.

Medicina Interna é a especialidade médica que avalia e trata o utente adulto e idoso no seu todo, tendo em conta toda a complexidade do organismo humano.

Nefrologia é a especialidade que se ocupa do diagnóstico e tratamento clínico das doenças que afetam o funcionamento dos rins.

Neonatologia é o ramo da pediatria que se dedica às crianças desde o nascimento até aos 28 dias de idade.

Neurocirurgia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento cirúrgico das doenças do sistema nervoso central e periférico, assim como das doenças da coluna vertebral.

Neurologia é a especialidade que previne, avalia e trata as doenças do sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal), e do sistema nervoso periférico (nervos cranianos e raquidianos).

Neurorradiologia é uma subespecialidade da radiologia médica que identifica e avalia anormalidades no sistema nervoso, cabeça e pescoço.

A Nutrição é a especialidade que se dedica à avaliação das necessidades nutricionais e ao planeamento alimentar.

Obstetrícia é a especialidade que se dedica ao acompanhamento das grávidas durante a gestação, no parto e no pós-parto.

Oftalmologia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento das doenças relacionadas com o olho.

A Oncologia médica estuda e trata diferentes tipologias de cancro.

Ortopedia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento médico e cirúrgico das doenças do sistema locomotor, como ossos, músculos, ligamentos e articulações.

Otorrinolaringologia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento médico e cirúrgico das doenças relacionadas com os ouvidos, nariz, garganta, cabeça e pescoço.

Pediatria é a especialidade que se dedica à assistência à criança e ao adolescente, seja de forma preventiva ou curativa.

Pneumologia é a especialidade que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças do sistema respiratório.

Psicologia é a especialidade que se dedica ao estudo e análise do comportamento e dos processos mentais.

Psiquiatria é a especialidade que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento dos transtornos mentais e de comportamento.

Reumatologia é a especialidade que se dedica ao tratamento das doenças que afetam as articulações, os ossos, os músculos, os tendões, e os ligamentos, designadas de doenças reumáticas.

Senologia é a subespecialidade que se dedica ao diagnóstico, estudo e tratamento das doenças da mama.

Urologia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento médico e cirúrgico das doenças do sistema urinário feminino e masculino e do aparelho genital masculino.

Cuidados a ter com a Protecção Solar

O cancro de pele é o tumor mais frequente no adulto. Uma em cada seis pessoas poderá desenvolver uma forma de cancro de pele ao longo da sua vida. Os três tipos de cancro de pele mais frequentes são o carcinoma basocelular (basalioma), o carcinoma espinocelular e o melanoma, sendo este último, responsável por 75% das mortes associadas a cancro cutâneo. Há vários fatores que predispõem o seu aparecimento, sendo a radiação ultra-violeta (RUV) o principal fator ambiental implicado. Em 90% dos casos de cancro cutâneo, existe história de exposição solar excessiva, sobretudo na infância e adolescência. Infelizmente, o cancro cutâneo continua a aumentar de incidência. São várias as razões responsáveis por este crescimento: para além da diminuição da camada de ozono, verifica-se um aumento da exposição solar por parte das pessoas, com a prática de atividades lúdicas ao ar livre e vestuário mais reduzido.

O bronzeado como característica esteticamente bonita também tem contribuído para este aumento de incidência. É importante frisar que não há bronzeado saudável! Uma pele bronzeada é uma pele que sofre ou sofreu uma agressão, e o escurecimento da pele não é mais do que a defesa do organismo contra essa agressão.

 

Radiação Ultravioleta

O sol emite radiação ultravioleta (RUV) como parte do espectro eletromagnético, a qual se divide consoante o seu comprimento de onda, em radiação UVC (270-290nm), UVB (290-320nm) e UVA que se subdivide em UVA2 (320-340nm) e UVA2 (340-400nm). A radiação UVC é praticamente toda filtrada na estratosfera, pela camada de ozono. Portanto, a radiação que nos atinge é a UVB e UVA. A sua penetração ao longo das camadas da pele, varia proporcionalmente ao seu comprimento de onda, ou seja, a radiação UVA atinge camadas mais profundas da pele (atinge a derme). A radiação UVB é a principal responsável pelas queimaduras solares imediatas e pelo cancro de pele, enquanto a radiação UVA tem estado mais associada ao envelhecimento cutâneo. Nos últimos anos, a radiação UVA tem despertado maior interesse, pois parece não ser assim tão inocente na patogénese do cancro da pele.

 

A tendência individual de um indivíduo desenvolver queimadura solar e bronzear após

exposição solar, é usada para caracterizar os fotótipos.

 

Fotótipos de Fitzpatrick

Fototipo I

Indivíduos de pele muito clara com sardas (efélides), cabelo louro-ruivo e olhos azuis-esverdeados. Apanham facilmente escaldões e a pele não bronzeia. A sua pele tem apenas um tempo de autoproteção de 5 a 10 minutos, ou seja, ao fim de 10 minutos a pele começa a ficar com eritema (escaldão).

Fototipo II

Indivíduos de pele clara, cabelo louro e olhos azuis. Apanham com frequência escaldões e raramente bronzeiam. O seu tempo de autoproteção é de 10 a 20 minutos.

Fototipo III

Indivíduos de pele clara, mas com cabelo castanho e olhos claros ou escuros. As queimaduras já são mais raras e bronzeiam facilmente.  Têm um tempo de autoproteção de 20 a 30 minutos.

Fototipo IV

Indivíduos de pele morena com cabelo castanho ou preto. Os escaldões são muito raros e ficam muito bronzeados. O seu tempo de autoproteção chega aos 45 minutos.

Fototipo V

Indivíduos de pele escura, cabelo preto, olhos castanhos escuros, pele pouco sensível ao sol e com um tempo de autoproteção de 1 hora.

Fototipo VI

Corresponde ao fototipo mais elevado, em que a pele está muito bem adaptada ao sol, tendo um tempo de autoproteção de mais de 90 minutos (ex. africanos).

 

Como nos devemos proteger da radiação ultravioleta?

A forma de prevenir a RUV é evitar o sol, mas isso é impraticável. O sol é essencial ao desenvolvimento e crescimento dos seres vivos. Depende de nós a sua utilização de forma responsável e moderada. Há formas de minimizar a exposição solar: evitando o pico da RUV (11h da manhã às 16h da tarde); procurando espaços de sombra; uso de vestuário adequado, incluindo chapéu de abas largas e óculos de sol e, por fim, a utilização de “protetores solares”. Estes últimos, na prática, não se têm demonstrado eficazes na proteção contra a RUV, muito por culpa dos consumidores. Os “protetores solares” têm que ser aplicados de forma generosa, numa quantidade superior a 2mg/cm2 (que é muito difícil determinar em termos práticos); deverão ser aplicados, em toda a pele, 20 minutos antes da exposição solar, não esquecendo os lábios, pavilhões auriculares, contorno dos olhos, mãos, pés e couro cabeludo nas pessoas calvas. Não esquecer ainda que deverão ser reaplicados de 2/2horas, sobretudo se o indivíduo toma banho ou transpira2. Salienta-se também que a utilização dos “protetores solares” é apenas uma forma de reduzir os efeitos da radiação UV, não substituindo as medidas atrás referidas.

Os protetores solares geralmente são identificados pelo fator de proteção solar, em inglês pela sigla SPF, que corresponde razão entre o tempo que demora a apanhar um “escaldão” com protetor solar com o tempo que demora sem protetor solar, dando o exemplo de uma pessoa com fototipo II em que ao fim de 10 minutos começa a ficar com a pele escaldada, se usar um fotoprotetor com SPF de 15, consegue aguentar 10x15minutos ao sol, sem ficar com escaldão.

Por regra, os dermatologistas aconselham fotoprotetores som SPF 50+.

 

O vestuário como fotoprotetor, tem despertado interesse por parte dos médicos, não só na prevenção do cancro de pele, mas também na proteção de algumas dermatoses (doenças de pele) que agravam com a exposição solar – fotodermatoses (ex: lúpus eritematoso, dermatomiosite, porfiria cutânea tarda, etc). Porém, uma grande percentagem da roupa de Verão não confere uma proteção eficaz contra a radiação UV.

 

Qual o vestuário que nos protege da radiação ultravioleta?

O grau de proteção da roupa é medido pelo fator de proteção ultravioleta (FPU), que traduz a relação entre a radiação UVA e UVB média efetiva, que é transmitida através de um determinado tecido e através do ar. Deste modo o fator UPF indica, efetivamente, quanto tempo a mais é possível estarmos ao Sol com a pele coberta por esse tecido, sem causar danos à pele.

É fundamental que a roupa esteja identificada com uma etiqueta certificada oficialmente com o respetivo FPU, para que as pessoas possam ficar informadas do grau de proteção: FPU=15-24 boa proteção; FPU=25-39 proteção muito boa; FPU> 40 proteção excelente.

 

Conclusão

 Atendendo às condições climáticas e geográficas do nosso país, que favorecem um aumento da exposição solar, e ao crescente aumento dos níveis de radiação UV, devido à rarefação da camada de ozono, é premente sensibilizar a população para a importância da alteração de comportamentos, utilização responsável e saudável da radiação solar e desmistificar a ideia do “bronzeado saudável”. Só assim conseguiremos baixar a incidência de cancro de pele, que não para de aumentar em todo o mundo.

As pessoas devem também adquirir o hábito de fazer o seu autoexame da pele e se notarem o aparecimento de uma mancha ou tumor atípico, marcar consulta de dermatologia para ser feito o rastreio de cancro de pele.

Dr. João Goulão
Cirurgião Dermatológico

Agendar Consulta

Ficha de Cliente

Candidatura de Emprego

Ficha de Candidato